Um passo para direita, dois para esquerda. Como fica a dança?

Acordei hoje tão tensa. Muito mais tensa do que no período eleitoral. A primeira matéria que vejo é “Manifestação com barcos, veleiros e lanchas acontece nesse domingo na Barra.” Eu não sabia se ria ou se chorava.  Mas calma, não é o fim dos tempos (eu acho, eu espero, eu torço que não). Keep reading →

Resumão sobre o cenário Cultural a partir de José Sarney

José Sarney (1985)- Criação do Ministério da Cultura

Fernando Collor (1990-1992) – O Ministério da Cultura foi extinto.

Itamar Franco ( 1992-1994) –  Recriou o Ministério da Cultura; Lei de Incentivo específica para área do audiovisual com foco no mercado.

FHC (1994-2002) – Aplicação dos recursos públicos no setor privado; região sudeste beneficiada; Cultura é um bom negócio.

Lula/Dillma ( 2002-2014) – Alargou a noção de cultura, fortalecendo as culturas populares; ouviu e debateu as políticas culturais com a sociedade civil; o Estado teve papel ativo no campo da cultura; aumento do orçamento para cultura; editais para pessoas físicas.

Referência:

CALABRE, Lia. Políticas Culturais no Brasil: balanço e perspectivas. In: RUBIM, Albino e BARBALHO, Alexandre (Orgs.)  Políticas Culturais no Brasil. Salvador: Edufba, 2007, pg. 87 – 107

Primeiro gostaria de dizer que Luciana Genro é um ótima candidata. Não é a toa que Vladimir Safatle está com ela e eu estaria com ela também. Mas como tem que ser um voto estratégico de acordo com essa conjuntura e a corrida para presidência, meu voto não é dela. 

Sobre o Pastor Everaldo, não quero nem comentar. Alias, vou destacar uma fala dele e paro por aqui: “Sou um defensor da liberdade. Sou contra o aborto. Sou contra as drogas. Aqui não é Cuba, não é Venezuela. Eu tenho direito de defender meus princípios. Defendo que casamento seja entre homem e mulher”. Keep reading →

Todos deveriam saber que esse ano as eleições são para Presidente, Senador, Governador , Deputado Federal e Estadual. Vou começar com meu voto para presidência. Então vamos lá! “Pensou que eles foram agressivos com o Aécio e o Eduardo? O que dizer das caras e tons de voz em relação à Dilma? Eu sou totalmente a favor da pressão, mas essa entrevista foi vexame do jornalismo em rede nacional… Não sou nenhuma entusiasta, mas, se ela ainda irrita tanto essa turma do JN, há motivos para votar na Dilma” – Ana Flávia. Keep reading →