Somos todos hackers!

O que passa pela sua cabeça quando você ouve a palavra hacker? Provavelmente a imagem de um bandido na web, ladrão de informações, invasores e ameaça para sociedade, como essa imagem abaixo.

É, pode até ser. Mas seria legal entendermos as múltiplas formas de um hacker.

A democracia na América Latina está em crise. Há quem diga que os Estados Unidos estão promovendo essa desestabilização. Tratando-se do Brasil, o cientista político e historiador Luiz Alberto de Vianna Moniz Bandeira, citou em uma entrevista as iniciativa do Partido dos Trabalhadores que contrariam os Estados Unidos, como por exemplo a criação do Banco do BRICS e o regime de partilha para o pré-sal. Sem contar que a presidente Dilma foi espionada pela NSA e não cedeu aos EUA em outras questões de política internacional.

Uma coisa é certa: nós, jovens, não nos sentimos representados pelo que está aí. Não é a toa que existe milhares de coletivos, grupos fazendo uma nova política. Política na rua, na esquina, na quebrada, nas praças e nas redes.

Todos esses coletivos são compostos por hackers que nem ao menos sabem que são hackers. Eles atuam politicamente, num sistema falido e para transformá-lo. Esse é o papel do hacker político: entender como funciona a política, se apropriar das ferramentas já existentes, compartilhar informações e reinventar.

Então você já pode mudar imagem do hacker malvado para este hacker:

BE-A-BÁ DO HACKER POLÍTICO

  1. Identifique a sua causa

São muitos problemas pra gente resolver. Mas o que te deixa mais angustiado? O Desabafo Social acredita que o primeiro passo para dar certo, é identificar aquilo que te  faz vibrar. Vibrar ao debater, vibrar ao querer realizar, vibrar porque você acredita que pode transformar para melhor, vibrar pela causa!

  1. Dê três voltas em sua rua

Se você quer mudar o mundo, é porque não está satisfeito com o que está aí. Procure saber os motivos de nada está dando certo e com você pode colaborar para dar certo. Mas primeiro conheça sua rua, seu bairro, sua cidade, seu estado e depois seu país. Vá sem pressa e sempre!

  1. Acredite que você pode

Não adianta querer mudar o mundo começando com a frase “ E se..”. Esqueça isso! Você pode fazer o que você quiser. Faça o que seja bom pra você e para o próximo.

  1. Utilize o que está ao seu alcance

Comece com o que tiver. Pode ser uma folha de ofício, um caderninho, um computador com acesso à internet ou uma palavra. Utilize as ferramentas que você tem em mãos.

  1. Mostre que é possível

Depois de identificar a causa, de entender como funciona sua rua, bairro, cidade, de acreditar na sua ideia e utilizar o que está ao seu alcance, as pessoas irão acreditar também e se identificar com a sua causa. Quando você acredita muito que pode, você consegue encontrar pessoas que podem colaborar com sua causa. Aos poucos as pessoas vão se aproximando para somar e realizar junto. Você vai ver que a causa não é individual, é coletiva.

TIPOS DE HACKER POLÍTICO

Os hackers são como mutantes que se interligam com outros para fortalecer sua rede de atuação. Existem vários tipos, conheça os mais comuns:

  1. Hacker Ativista Digital

Quem nunca utilizou as ferramentas digitais para denuncias violações de direitos, sugerir propostas, acompanhar votações etc? O hacker digital entende a internet como outra esfera de socialização para mobilizar pessoas entorno de uma causa ou várias causas.

  1. Hacker Ativista da Profissão

Provavelmente, todo mundo deve conhecer alguém que utiliza suas habilidades profissionais para ressignificar a cidadania. Um exemplo bem simples é o jornalista. O jornalista vai para as manifestações, registra o ocorrido e divulga o seu olhar político sobre o que aconteceu. O professor também é um bom exemplo. Utiliza seu conhecimento profissional com o ativismo.

  1. Hacker Empreendedor

Esse tipo de hacker identifica o problema e já começa a empreender em cima disso. Cria um negócio social buscando soluções práticas. Pode ser através de uma plataforma digital ou consultorias. O hacker empreendedor está preocupado em mudar o mundo através de ferramentas de participação.

  1. Hacker das Ruas

Utiliza o espaço público para realizar manifestações culturais, debates, promover encontros e pensar soluções para a cidade.

#FICADICA

Se inspire com alguns hackers que estão realizando trabalhos incríveis em diferentes áreas de atuação

  1. Civic Stack

Duas organizações da Argentina, Asuntos del Sur e Democracia en Red e criaram um portal chamado  Civic Stack. Essa plataforma é compartilha aplicativos abertos de diversos países, que foram desenvolvidos por cidadãos, organizações ou governos que buscam ampliar a participação democrática e inovar nas soluções para os problemas que enfrentam as sociedades. A ideia é fornecer acesso fácil as ferramentas digitais para os ativistas e organizações incentivar a participação social e fortalecer seus processos organizacionais e de tomada de decisão.

Acesse http://www.civicstack.org/

  1. Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicadores (RENAJOC)

A Renajoc utiliza mídias alter  realiza ações que buscam unir adolescentes e jovens do Brasil para chamar a atenção para o Direito Humano à Comunicação, fazendo coberturas colaborativas de eventos relevantes para os adolescentes e jovens e integrando debates nacionais sobre adolescência, juventude e comunicação. Por conta disso, a rede criou o “DIA C” – Dia Nacional da Juventude Comunicativa, comemorado em 17 de outubro juntamente  com o Dia da Democratização da Comunicação.

Acesse http://renajoc.org.br/

  1. Jornalistas Livres

O coletivo de Jornalistas Livres realiza cobertura colaborativa contra a manipulação política da mídia tradicional, buscando narratividades independentes. Eles utilizam o conhecimento profissional com o ativismo.

Acesse https://medium.com/jornalistas-livres

  1. Ocupa Lapa

São hackers das ruas que ocupam o bairro da Lapa, no Rio de Janeiro, realizando ações culturais e artísticas. O “Ocupa Lapa” nasceu para repudiar as ações violentas da polícia no bairro, durante as manifestações de junho. O objetivo é promover reflexão nas pessoas através manifestações artísticas.

Acesse: https://www.facebook.com/OcupaLapa

O hacker sabe que é preciso fazer parte e entender o sistema que existe para poder transformá-lo! Por isso não esqueça de assumir a responsabilidade, se dedicar ao processor, propor soluções , por a mão na massa e não deixar a peteca cair.

BEABA